Mensagens

Parabéns Carlota!

Imagem
A minha bebé já tem 5 anos! E têm sido os melhores das nossas vidas. Os mais desafiantes também, intensos mas sem dúvida os mais maravilhosos. Obrigada minha filha por me ensinares que o amor cresce sem medida e que a vida é para ser vivida com sentido de humor e acima de tudo com leveza. Tenho muito para aprender contigo 💘 muitos parabéns!

Obrigada família!

Imagem
Em semana de agradecimentos, e a um dia de ficar de férias, tenho tanto para agradecer e desta vez à família de sangue, ao nosso núcleo duro que nunca nos falha, que está sempre lá quando precisamos. As férias da escola começaram a 28 de julho mas as nossas só amanhã... e 15 dias podiam ser (e são para alguns pais) um problema mas felizmente lá em casa são sinónimo de tempo em família e tempo de qualidade, onde as actividades e passeios se vão sucedendo num ritmo tão fluido que as mantém ocupadas e sobretudo felizes. Tão animadas que andam que para irem dormir a casa tem sido praticamente sob chantagem... sem dúvida sinal de que se sentem também em casa.  Por isso tenho muito que agradecer! Ao tio João que, apesar de estar com elas o ano inteiro, ainda arranja disposição e energia para as ocupar nas férias! Seja em passeios, seja em casa, animação não falta; À tia Sandra, que mesmo com a bebé Frederica, que só quer é colo e que ainda acorda a meio da noite, insiste para as sobrinhas …

Os amigos são a família que escolhemos

Imagem
Parece frase feita mas é a mais pura das verdades. Apesar de ter uma família gigante e cheia de pessoas especiais, de quem gosto mesmo muito, também tenho pessoas a quem apenas o grau de parentesco nos une. Não por alguma incompatibilidade, antes porque nunca calhou. Seja pela distância, seja pelas diferenças de estados de vida, seja pela falta de afinidade, a verdade é que a vida fez de nós família, pelos laços de sangue, mas quis a vida que a nossa relação fosse apenas essa. Família de sangue a quem dou um abraço apertado e sentido quando nos encontramos, naquela festa ou encontro anual de família, mas que depois, no dia a dia, não está na minha vida. Resumindo, fazem parte da minha vida mas de uma forma mais superficial e vice-versa. Se for preciso sei que estamos lá uns para os outros mas não sendo... mantemos esta relação à distância, tanto física como emocional (e está tudo bem! Não há mal nenhum nisto, mesmo!).  Depois há os amigos, aqueles que entram nas nossas vidas, alguns …

Incrível

Imagem
Há tanto deste país que desconheço... Nos últimos fins de semana tivemos o privilégio de ser convidados, por amigos diferentes, para programas na mesma zona do país, Ferreira do Zêzere. Primeiro Vila de Rei, depois Castelo de Bode, sempre rumo à zona centro, que pouco conhecia mas que aprendi a valorizar! Vila de Rei só conhecia de passagem, com uma ou outra paragem para almoçar e uma visita há muitos anos ao centro geodésico e para mim estava bom. Nunca pensei que por ali, num raio de tão poucos km's existissem locais tão bonitos!!! Praia Fluvial de Cardigos, Zaboeira, Fernandaires e Carvoeiro são locais simplesmente inesquecíveis. Cada um à sua maneira mas todos de uma beleza natural, até selvagem no caso da Zaboeira, que impressionam. Já para não falar da ausência de pessoas e de confusão que por esta época impera a sul do país. Foi sem dúvida um fim de semana cheio de descobertas, como a aldeia de Água Formosa, na melhor das companhias! Obrigada queridos amigos Mara e Pedro p…

Nas Bodas de Estanho

Imagem
Sempre tive, e continuo a ter, dificuldade em imaginar a minha vida daqui a uns anos. As projecções nem sempre ajudam a ter os olhos postos no hoje e se estamos sempre a pensar no que queremos que seja ou no que podia ter sido, sem a capacidade de valorizar o que temos agora, então o tempo vai passar e nunca vamos sentir que somos verdadeiramente felizes. Não é conformismo pensar que a vida é o que é, mas antes uma forma de estar na vida que me tem mostrado que é o caminho certo para a felicidade. Vivemos uma relação de uma vida, cheia de altos e baixos mas que continua a fazer sentido, que nos mantém juntos mesmo com as nossas imperfeições. Que seja um amor da vida toda, para a vida toda.

Aos avós lá de casa

Imagem
Hoje é dia Mundial dos Avós. São datas especiais que nos levam a pensar sobre o papel destas pessoas nas nossas vidas. Eu tive a sorte de crescer com avós cheias de vida, que viviam na mesma aldeia e que tomavam conta de nós a meias nos meses de verão. Almoço na avó de "cima", jantar na de "baixo". Da avó Natividade tínhamos sempre tudo o que pedíamos, batatas fritas em azeite que só na casa da avó de cima tinha aquele sabor tão especial. Ia connosco ao café e era sempre generosa com as guloseimas, levava-nos à rega e à Tapada cimeira para tratar dos animais, sempre bem-disposta, com vontade que o verão durasse o ano inteiro! A parte preferida era ter companhia para dormir, que entre nós íamos sorteando porque todas queriam dormir com a avó! Já na avó de baixo, a dinâmica era diferente porque sempre imperou a auto-gestão. Fazia-nos crer que tínhamos total liberdade mas pelo meio lá íamos levar as maçãs ao porco ao Vale da Vinha ou buscar os ovos à Eira. As tarefas…

Parabéns maninha!

Imagem
Dizem que o aniversário é a altura ideal para resoluções, para novos começos, para mudança de hábitos, para dar início a outros projectos e a diferentes rotinas. Para se cortar com o que nos pesa e abraçar só o que nos faz feliz. Nem sempre se consegue pôr em prática pelas vicissitudes da vida mas tu tens a sorte de começar os 40 anos - logo os 40! - como poucos: com a mudança de casa, com o começo de uma nova vida a 4! Foi um processo muito lento, que sei que muito te desesperou, mas que acabou (como quase tudo na vida) por valer a pena. Tanto pela casa em si, pela localização, pelo espaço, mas sobretudo porque o processo implicou imprevistos que te levaram para mais perto de nós. Voltar a casa dos pais, depois de 20 anos fora, pode ser difícil de encaixar para a maioria mas não para nós, não para ti, a quem a família diz tudo, para quem a família é tudo.  Cresceste a sentir o peso da responsabilidade da irmã mais velha, um papel que tantas vezes te levou a fazer não o que querias, …

A mãe disse

Imagem
Não tem estado propriamente calor e para quem sai de casa antes das 8h com destino à praia, menos ainda. Vestiram fatos de banho, os vestidos e a seguir os casacos. Expliquei que não ia ser um dia de muito calor por isso depois da praia, quando fossem para o parque, o melhor seria voltar a vestir os casacos. A mensagem foi igual para as duas, já do resultado... não posso dizer o mesmo.

P.S. Durante a tarde não esteve assim tanto frio, sobretudo para quem anda a brincar num parque. Claro que a Carlota nem perguntou a ninguém se podia tirar o casaco (sorte não o ter largado algures..), já a Constança levou à letra a recomendação da mãe. Mais uma vez, atitude responsável/ cumpridora vs. atitude descontraída/ está-se nas tintas (e aqui que ninguém ouve... bem mais prática).

E de repente...

Imagem
A Constança está uma crescida. Recebi esta foto, tirada pelo tio João, e assim que pus os olhos nela deu-se um clique cá dentro - de repente a Constança é uma menina crescida, foram-se os traços de bebé para dar forma a uma cara doce, a um olhar meigo, a expressões de criança tranquila e feliz que é. Responsável, tímida mas segura de si e com ideias muito concretas do que quer, como e quando quer. Esta foi a 1.ª pintura que quis fazer. Já fomos a muitas festas de aniversário com as miúdas a delirarem com as pinturas faciais de todas as cores e feitios, incluindo a mana, a prima e as amigas. Mas ela... nada. Gostava de ver nas outras mas nunca teve vontade de experimentar, até ontem. Um clique que se deu nela e em mim. Um desabrochar que me deixa cheia de orgulho e de emoção, por ser mãe de uma menina tão linda, tão especial, que aos poucos tem saído do seu casulo para se revelar uma pessoa linda por dentro e por fora. 

Go Girls!

Imagem
Não sou apologista de muitas actividades extra porque por um lado não tenho carteira para isso, por outro e acima de tudo, porque sei que já passam muito tempo fora de casa. A escola que frequentam foi escolhida precisamente porque garante uma série de actividades (lúdicas e desportivas) dentro da escola, nos horários de apoio à família, que no caso das minhas filhas é das 8h30 às 9h e depois das 15h30 no caso da Carlota e 17h30 no caso da Constança até às 18h30, hora a que conseguimos ir buscá-las. Juntar a esta carga horária outras actividades não só é difícil logisticamente como requer muita força de vontade, leia-se: energia. A dança é 2x por semana e a seguir à escola e só acontece porque, primeiro a Carlota, depois a Constança, pediram para ir. São as amigas da escola, pequenas e crescidas à mistura, fica perto da escola/casa e tem uma mensalidade aceitável. Não acho que tenham um talento nato mas sei, sinto, que dançam com gosto. São alunas empenhadas, ajuda na concentração (s…

Madalena e as suas Fadas Madrinhas

Imagem
Partilhei aqui a forma inesperada e original como recebemos o convite para madrinhas da Madalena. Desde esse primeiro momento que mais um laço nos une de uma forma (quase) mágica. Se aos pais coube a difícil e importante decisão da escolha de quem para sempre manterá um laço afectivo com a sua filha, já a nós - as escolhidas - cabe a responsabilidade de receber este dom de coração, cada uma à sua maneira, oferecendo o que de melhor tem para dar.

Madrinha Telma: o dom da Coragem!
Madrinha Caty: o dom da Alegria!
Madrinha Carla: o dom da Resiliência!
Madrinha Cris: o dom da Bondade!
Madrinha Andreia: o dom da Sabedoria!
Madalena, que a todos os dons recebas de coração!

Jardim de Infância em pleno

Imagem
Ontem foi a reunião da Carlota, do 1.º ano de Jardim de Infância. Começou muito devagar, com uma postura muito diferente dentro da sala e fora dela. Cheguei a ficar preocupada mas ouvi, como se deve ouvir sempre, a opinião da educadora e deixei andar (com alguma angústia, confesso...). Fui perguntando e recebia respostas curtas mas sempre com um "tudo bem, brinquei com os amigos". O tempo passou e o clique chegou. Na reunião do 2.º período a descrição da avaliação já falava numa criança participativa e empenhada, mais sociável em sala e, para meu grande espanto, muito bem comportada, organizada e educada. Música para os meus ouvidos!!! Fora da sala teve muitos momentos de "reflexão", pela atitude desafiadora, pela mania de querer estar/ser como as "crescidas", mas felizmente com a noção de que dentro da sala a responsabilidade era outra. A capacidade de separação, de mudança de atitude, de adaptação ao ambiente foi incrível! Muito pelo trabalho dos adult…

1.º ano - já passou!

Imagem
A entrada na escola é um ano muito especial. Tinha muitas expectativas mas mais medos ainda. Medo da adaptação, medo da frustração, medo da pressão, medo dos novos desafios e do desconhecido,  medo da competição feroz, medo da inclusão, ou melhor, da falta dela... Foram muitos medos a gerir, uns que fui expressando, outros que guardei lá bem fundo mas que felizmente foram desaparecendo à medida que o ano foi avançando. Pontos muito favoráveis: ter feito a pré na mesma escola e por isso já conhecia o espaço, as dinâmicas e as pessoas; ter ficado na turma da professora Céu, que faz parte do quadro da escola/agrupamento e que por isso, se tudo correr bem, os irá acompanhar até ao 4.º ano; mas sobretudo ter tido uma professora que mais do estabilidade lhe deu segurança para aprender, passou regras construtivas e inclusivas, numa turma com 2 alunos com necessidades educativas especiais; conseguiu ensinar sem massacrar, com trabalhos para casa por vezes intensos mas que vejo agora, à distâ…

Picnic dos Amigos

Imagem
Há uns anos, quase por acaso, descobrimos o parque desportivo de Mafra num passeio com os compadres Dora e Luís. Os miúdos adoraram, sobretudo pela tranquilidade que o espaço transmite, sem fila para escorrega ou baloiços. Nós, pais, ainda gostámos mais porque sendo um parque plano dá para ficar à conversa mas sempre com campo de visão limpo para ir espreitando as aventuras dos pequenos. No ano seguinte organizámos um picnic com o grupo de amigos, que também gostaram muito, apesar de não ficar propriamente perto compensa pela qualidade - tem sobra, tem espaço para jogar a bola, tem baloiços e cenas várias para pequenos e mais crescidos e muito, mas muito espaço verde, para se estar à vontade sem ter magotes de pessoas em cima. Melhor ainda, tem um café à entrada, com esplanada e longe do espaço do parque, o que significa que dá para uma "escapadinha" em off (seja dos filhos, seja dos maridos e vice-versa). Eles dizem sempre que nós demoramos mais de 1h, quando na verdade sã…