Nova aposta

Acabei de inscrever as miúdas nas aulas de natação/adaptação ao meio aquático! A partir de agora temos programa certo para as manhãs de sábado! Estou mais entusiasmada do que elas porque acho que lhes vai fazer muito bem a todos os níveis. Eu não aprendi quando pequena e a minha relação com o mar nunca foi muito além do mergulho à pata... e hoje reconheço que mais do que uma actividade desportiva, pode ser uma questão de sobrevivência. Estou preparada para umas quantas aulas a vê-las molhar os pés ou a fazer cara feia, mas estou determinada a não deixar que desistam. O facto de conseguir o mesmo horário para as duas acho que vai ajudar a que não se sintam tão sozinhas, mas também estou consciente que as professoras podem fazer a diferença nesta experiência... as recomendações são óptimas, agora é esperar que a empatia aconteça.
Entretanto a preparação do saco com as tralhas para as 2 está a deixar-me louca!!! É tudo a dobrar: toca, fato de banho, crocs, toalha, roupa interior, escova cabelo... está-me a parecer que me estou a meter numa aventura que me vai fazer suar...
Nota: aproveito para partilhar uma novidade sobre as crocs. Este ano já estava a descartar a hipótese de comprar para a Constança porque o 8/9 deixou de servir mas o 10/11 está a boiar... mas eis que este ano a marca reconheceu a falha nos tamanhos e lançou uma linha com números seguidos! Hoje comprei o número 10 que fica perfeito :)



Alto lá!!!!


A Carlota ainda não fala lá grande coisa... E talvez por isso eu tenha precisado de alguns meses para perceber o nome da sua história preferida... Falava no cuquedo mas para mim era apenas mais uma palavra fora do meu entendimento... Até que na reunião de pais a educadora mostra fotos de várias atividades de sala, entre elas a leitura de histórias. Lá estava a Carlota de volta do seu livro de eleição: O cuquedo!!!! As ilustrações são geniais e a lengalenga também! Oferecer-lhe esta história soube mesmo bem. 

Há fases assim...

A vida é uma caixinha de surpresas, todos sabemos isso. Mas há alturas na vida que parece que as surpresas não param de surgir. Quando são boas fazemos uma festa, mas quando são assim um grande ponto de interrogação, ficamos com o coração apertadinho, a precisar que o tempo nos diga o que aí vem. Acredito que é nisto que ter fé ajuda, porque sempre conseguimos olhar para as coisas numa preservativa aberta e positiva. Não entrar em espiral negativa é o mais importante, focar nas coisas boas e enfrentar os problemas de peito aberto só pode ajudar... E viver a vida um dia de cada vez também. Não vale a pena sofrer por antecipação. Que a nuvem negra passe!!!!!

As festas da Constança!

Acredito cada vez mais que o importante são os momentos que vivemos em família, entre os amigos queridos, junto de quem amamos. São esses os momentos que marcam, os que ficam na nossa história. E se há pessoas a quem quero preencher a memória com momentos desses são as minhas filhas. E nada melhor do que as seus aniversários para encher de coisas boas, de passeios, de preparativos, de presentes, de pessoas!!! Os 5 anos da Constança foram comemorados no dia, com passeio em família, parabéns no colégio e jantar em casa para as madrinhas e no fim-de-semana com lanche para família e amigos. Todas as festas tiveram o seu significado, o seu momento, o seu espaço e cada uma delas deixa-nos memórias que nos enchem o coração. Sobretudo o coração da Constança, que merece todo este esforço, empenho, dedicação e amor. 

#1 O momento da revelação!

 #2 Visita ao Cristo Rei

#2 As nossas rainhas

 #3 Parabéns no colégio

#4 Parabéns em casa

#4 Com as madrinhas queridas!

#4 A brincar com a lavandaria!

#5 A festa no sábado

#5 A brincar com as amigas!

Obrigada a todos por nos ajudarem a fazer da Constança uma criança tão feliz!


Parabéns Constança!

A surpresa da Constança!

Parece noite de Natal. Não consigo ir dormir com a excitação de ver a cara da Constança quando tirar a toalha rosa e descobrir... A casinha de bonecas dos seus sonhos!!!! É sem dúvida o presente ideal para ter a certeza que os 5 anos nunca mais serão esquecidos! Porque há sonhos impossíveis ou muito difíceis de concretizar, outros nem tanto! Que os sonhos da minha menina continuem a crescer, a viver nesta casinha, mas acima de tudo, no seu coração! 


Consulta dos 5 anos

O aniversário é só amanhã mas a consulta já foi ontem! Assim marcamos não só o dia de aniversário, mas toda a semana!!! E nada melhor do que começar a semana a receber elogios! A Dra. Sofia ficou impressionada com o crescimento da Constança, com a sua tranquilidade e olhar doce, com as suas maneiras educadas e respostas directas. Eu fiquei cheia de orgulho, responder que se porta bem na escola, que gosta de fazer trabalhos, que adora ajudar a mãe lá em casa... sempre super calma, a trocar olhares comigo, mas segura de si. Deu-me um aperto no peito por vê-la e senti-la tão crescida... o tempo passa mesmo, mesmo a voar! De repente já não preciso de falar por ela, nem sou eu quem responde à maioria das perguntas... De repente tenho uma mini pessoa, que fala por si, que se consegue expressar e ter a sua própria opinião. É simplesmente incrível e aterrador também!!! Mas voltando à consulta, a grande novidade foi mesmo estar no percentil 75! Coisa inédita desde os 3 meses... finalmente esticou e está super equilibrada no peso e na altura. Agora o desafio é manter, é progredir, é continuar a crescer saudável e feliz. Próxima consulta: daqui a 1 ano!

Nota: entre os 4 e os 5 fez as consultas de oftalmologia, de otorrino e dentista. Agora entre os 5 e os 6 só mesmo as vacinas, as do plano e a nova da meningite, que infelizmente não tem comparticipação nenhuma... serão 2 doses, em doses duplas lá em casa... 

São os genes

Ontem fomos à FIL ver as motos e percebeu-se claramente que há gostos que devem passar nos genes ou coisa parecida... 

Retrato de Família


A Constança adora desenhar e pintar! E tem vindo a aperfeiçoar esta arte de forma impressionante! Este é apenas um exemplo, daqueles que me encheu o coração porque surgiu do nada. Ninguém lhe pediu para desenhar a família ou sequer desenhar... É uma arte que faz com prazer, que a deixa feliz e que a mim me enche de orgulho. Este em especial por retratar tão bem a nossa família, desde o pormenor das pestanas da Carlota, à cor do meu cabelo, à flor no cabelo da Constança, ao sorriso aberto do pai e a dar-me a mão! Este é daqueles que vou guardar com o maior dos cuidados e com o maior orgulho do mundo!

Nisto concordo

Ter uma irmã professora de 1.º ciclo, mais um grupo gigante de amigos, todos professores, contribuiu bastante para que muitas opiniões deste psicólogo não me descessem na garganta... mas hoje dei-lhe o benefício da dúvida e li a entrevista, na íntegra, publicada no jornal i. E tenho de reconhecer que algumas das opiniões batem certo. 

Mais trabalhos a tempo parcial ou vantagens no IRS serão a solução?
Haverá muitos aspectos, mas o financeiro é crucial. Um filho custa muito dinheiro por dia. Às vezes, acho que as pessoas que têm responsabilidades políticas não são tão sérias como deviam ao falar destas coisas. Gostava que explicassem aos cidadãos como é possível ter dois ou três filhos entre os zero e os seis anos com os jardins-de-infância a custarem mais por mês do que uma universidade privada. A ideia de que educamos os nossos filhos nas lojas dos 300 é algo que as Finanças insistem em imaginar, mas que é um absurdo. E acho inacreditável que, de há muitas Presidências da República para cá, isto nunca tenha sido um compromisso de regime. 
...
Acho uma patetice separar o ensino obrigatório da educação infantil, que devia ser tendencialmente gratuita e para todos. Devia ser proibido ensinar a ler e escrever nos jardins-de-infância. De repente, estamos a espatifar um recurso fundamental: não é pelo facto de as crianças serem bons macacos de imitação que aprendem a pensar e, ao ensinar escrita e leitura aos quatro anos, estamos a impedi-las de ter essa experiência profunda na idade certa. Acho que devia ser proibido haver turmas de primeiro e turmas de segundo nível e ser possível haver escolas só de raparigas e só rapazes.

Entrevista completa no jornal i, aqui!

1 por todos e todos por 1

É o novo lema da família. Não é uma atitude nova mas hoje tivemos mais um exemplo de como funcionamos bem em equipa. O meu pai sentiu-se mal ao almoço, com sintomas assustadoramente parecidos com os do avc, o meu irmão percebeu e tomou conta da situação. Conseguiu não alarmar pai e mãe, chamou ajuda médica e ligou-me a contar. Ser a mais racional, ou rija como o meu pai me chama, tem destas coisas... Felizmente depois de exames e análises percebeu-se que foi um efeito da medicação que toma para o parkinson, já que distraído e poupado como é, desfez um comprimido sem querer, tomou 1 novo mas achou que deixar migalhas era um desperdício... Resultado: sobredosagem! A meio da tarde avisei as minhas irmãs e fomos acompanhando a evolução com notícias da minha mãe, que o acompanhou sempre no hospital. O meu pai esteve sempre bem e consciente, o que nos tranquilizou. Não valia a pena ir para a porta do hospital, só é permitido 1 acompanhante, mas assim que saiu do trabalho foi a Dária a primeira a chegar e nem a propósito mesmo a tempo da alta médica. Esta atitude só veio acrescentar o carinho que cada vez mais sentimos por ela, o nosso mais recente membro da família. Bem-vinda querida Dária, conquistadora de corações, dos mais pequenos aos maiores!


Ahhhhhh!!!!

Há 1 ano à espera deste momento! Finalmente de regresso a melhor série de sempre!!!
Próxima 2.ª feira, 13 de abril no Syfy.

É guerra que vão ter

Desde a reportagem da SIC sobre a obesidade infantil que não se lê outra coisa por esta Internet fora e esta crónica é um bom exemplo desse eco. Ao contrário da maioria dos comentários e partilhas com que somos diariamente bombardeados, esta é daquelas que vale a pena estar a par.
Eu por mim falo, porque reconheço que nem sempre sou adepta de uma alimentação mais saudável... posso desculpar-me com a falta de tempo, mas a verdade é que a maioria das vezes é mesmo por falta de ideias e de paciência também... e falar sobre este tema é coisa que me deixa angustiada, confesso. 
Tenho 2 filhas, ambas seguidas pela mesma pediatra, ambas com o mesmo histórico alimentar. Mas se a Constança esteve sempre acima dos percentis, do peso e da altura; já a Carlota sempre esteve, e continua a estar, dentro dos parâmetros médios (50 ou 75). Os metabolismos são diferentes, os feitios também! A Constança sempre mais sossegada; a Carlota muito mexida. Mas será só isto?! Acho que não. A Constança tornou-se uma criança super selectiva nos seus gostos alimentares, enquanto a mais pequena come de tudo um pouco. Olho para trás e penso onde posso ter errado ou onde insisti menos do que devia?! Definitivamente o problema está em mim e é nisso que tenho de me focar nos próximos tempos. Esta reportagem teve o efeito pretendido em mim, deu-me assim uma espécie de abanão que me deixa super motivada para comprar uma guerra com as minhas filhas. Sim, cortar com o leite com chocolate e com as bolachas vai ser uma guerra e das difíceis! Mas estou disposta a ir à luta e a enfrentar as feras, porque no fim é para o bem delas. E para o meu também. Para que no futuro possa sentir que fiz o que devia, que as ajudei a crescer saudáveis. Agora esperam-me muitas birras, muitas lágrimas, muitos amuos... E só espero ter a força e paciência necessárias...



Parabéns Francisca!!!

Estou em semana de reposição de "presentes" de aniversário! Este é um dos especiais, para a minha querida sobrinha Francisca, de quem gosto tanto e de quem tenho um orgulho infinito! Adorava ter conseguido mostrar este vídeo no dia do seu aniversário, mas não foi mesmo possível... chega mais tarde, sem o "aparato" que merecia mas... cheio de intenção e muito, muito amor! 


P.S.1: A música só podia ser esta - a preferida da Francisca!
P.S.2: Obrigada ao Sandro pela partilha das fotos à "surrapa" para uma surpresa  mais completa

Na teoria parece muito lógico

"Três formas de parar de gritar com os seus filhos"

Lendo faz todo o sentido mas na prática, quando a Carlota se atira para o chão pela 5.ª vez simplesmente porque lhe dizemos que não ou tão simplesmente porque sim... fica difícil não gritar. Muito difícil... 

Dia de Páscoa é...

...para mim sinónimo de família. Desde pequena que o almoço de Domingo de Páscoa tem como tradição ser em família e ser passado fora de casa. Uma espécie de 2 em 1, juntando almoço em família a passeio. Tínhamos o hábito de ir almoçar fora em localidades tão variadas como Nazaré, Caldas da Rainha, Sesimbra, Óbidos... dependia do estado do tempo. Mas desde o ano passado que mudámos a tradição e nos fixámos na Lagoa de Albufeira, a convite da Andreia e do Nuno, que estão cada vez mais fãs desta casa de férias a um saltinho de Lisboa e que oferece uma rotina completamente diferente. Esta nova tradição só veio reforçar o tempo que passamos em família e a qualidade desse tempo. Há tempo não só para almoçar, como beber café tranquilamente com vista para o parque infantil, que faz as delícias dos mais pequenos e não só!!!