Done!

Acabei de submeter o IRS 2016! Começa amanhã oficialmente mas todos os anos vou espreitando uns dias antes porque se há prazo que gosto de cumprir é este. Não precisam ficar com a minha retenção nem mais 1 dia do que o necessário. Já tinha validado os valores no e-fatura de todos lá de casa por isso a única questão que me deixou meio indecisa foi a colocação das despesas de alimentação da escola, que só este ano ficou decidido ser possível juntar à educação. Acabei por não o fazer porque implica preencher os campos de todas as despesas (saúde, educação, gerais familiares), para todos os titulares e dependentes, perdendo o cálculo automático que vem do e-fatura. Como na simulação o impacto era irrisório, optei por aceitar os valores/alocações já validadas no e-fatura. Outra questão que não é clara é a necessidade de identificar o imóvel através do anexo H. Apesar de o ter feito, à semelhança dos outros anos, fico sem a certeza se será mesmo necessário... mas mais vale por excesso do que por defeito. Agora é aguardar a validação da declaração e, mais importante, a data do reembolso na conta!

Parabéns amiga Dora!

A Dora faz anos hoje e na seleção de fotos é bem visível o longo histórico da nossa amizade. Temos tanto que nos une, para além da sintonia de pensamento, forma de estar na vida, valores e convicções. Trocámos votos de compadres, estivemos e estamos presentes no dia-a-dia, nas festas e rambóias - que felizmente têm sido muitas - mas também nos momentos menos bons, quando estamos em baixo ou precisamos de amigos por perto. Os desabafos, as confidências, as partilhas são mais que muitas, tantas que nos fazem ir às lágrimas de riso, outras que guardamos para nós numa ligação profunda de cumplicidade. Já partilhámos muitos momentos únicos, como o casamento, o nascimento dos filhos, o compromisso do Baptismo que nos manterá juntos para sempre e outros tantos que sendo do dia-a-dia são ainda mais especiais. É a mistura de todos eles que nos faz chegar ao dia de hoje com este sentimento de amizade especial. Este ano será também especial na tua vida com a chegada da Madalena, que mesmo ainda não conhecendo já amamos tanto. Cá estaremos, como até aqui, para o que for!
Muitos parabéns querida amiga e comadre! 



É dar-lhe tempo

Na última consulta com a pediatra, falei na minha preocupação quanto ao desenvolvimento da fala da Carlota. Começou a falar mais tarde do que a Constança (no 2.º filho há sempre comparativos...) e na escola, este ano já na dos crescidos, nota-se a diferença face aos outros meninos da sala, que sendo mista tem meninos já com 6 anos o que faz uma diferença de 2 anos... mas ainda assim... Será "normal"? Nada melhor do que uma avaliação de quem sabe da área, por isso saí de lá com a prescrição para consulta de avaliação de Terapia da Fala. Comecei por conversar com a Educadora, para saber a opinião e comportamento na sala e prontamente surgiu a possibilidade de ser avaliada pela equipa do agrupamento, que dispõe de uma terapeuta para acompanhar casos sinalizados. Mesmo não sendo o caso, a educadora prestou-se logo a fazer o pedido ao agrupamento e a avaliação ficou agendada no espaço de 1 semana. Surpresa boa! Sendo escola pública pareceu-me uma atitude muito proativa. A avaliação aconteceu, foram precisas 2 sessões porque a Carlota não foi muito colaborativa... e do relatório fica a perceber-se que por um lado se recomenda, há sons que ainda não saem naturalmente mas, por outro são visíveis sinais de alguma imaturidade, o que se resolve com o tempo. São 3 páginas de muita descrição técnica mas que a educadora resumiu numa conversa de 5 minutos, em que destacou a questão da imaturidade, inflamada pelo facto de ser a "mascote" da escola, tratada como a bebé das mais velhas, que andam com ela ao colo no intervalo e que adoram ouvi-la falar à "bebé"... enfim, no resumo, disse-me que uma ajuda profissional podia ser benéfica mas que havendo ainda tempo (terá mais 1 ano de JI) ficou do nosso lado (pais) a decisão de começar já ou esperar mais um tempo e ver se o "clique" acontece. Fiquei eu com a "batata quente" na mão... e nada melhor do que uma 2a opinião de alguém da área e de confiança para perceber qual a melhor decisão. Marquei com a Anita, amiga de infância e que foi a terapeuta do Simão, de quem só temos boas referências. A consulta foi hoje e depois de 45 minutos numa sala com a Carlota, que só conhecia de vista,  fez uma avaliação muito positiva tanto do seu comportamento como da capacidade de resposta aos jogos/desafios que lhe lançou. Achou que realmente é meio trapalhona, porque se atropela com a velocidade com que quer falar, mas que isolando as palavras, os sons certos aparecem. Resumindo, é dar-lhe mais autonomia, confiança e puxar por ela nas palavras que não saem bem, ajudá-la a desacelerar no discurso e tratá-la como uma criança de 4 anos. Ou seja, não se fala à bebé mas também não se pode exigir uma postura nem um discurso de criança de 6 anos. Resumo, é dar-lhe tempo, ajudar sem stressar. Incentivar sem pressionar. Com calma vai lá! Tirando isso achou-a muito inteligente e perspicaz e educada e agitada também. Uma descrição, esta sim, que faz jus  à Carlota. 

Eu cá trabalho porque preciso de dinheiro

O que eu chorei de tanto rir!

É que em tempo de (pós) crise parece que se tem de agradecer por trabalhar. O reconhecimento e a gratidão não invalidam o devido reconhecimento em dinheiro. Afinal é por isso que trabalho. Posso gostar muito do que faço, mas no fim do mês é o dinheiro do meu trabalho que paga as contas lá de casa. Por isso senhores, menos conversa!


A saga continua...

Quando é que imaginei começar, literalmente, um dia a fazer pesquisa no youtube "como furar um ovo"?! Recebemos o recado há uns dias mas confesso que o ignorei porque para além de ter um prazo mais alargado (até dia 23 de março), implicava uma tarefa desconhecida por mim até aqui. Quando li "trazer um ovo vazio" nem percebi muito bem o que a educadora queria dizer com aquilo. Desculpem lá as amigas todas cromas na arte das cromissses e cenas manuais, mas para mim ler ovo vazio equivale a missão quase impossível. Simplesmente não estou formatada para este tipo de actividades... leio "ovo vazio" e faz-se eco no meu cérebro. Para além de nem visualizar o processo, começo logo a pensar no efeito das minhas mãos-dedos-de-chumbo num ovo. O resultado nunca pode ser bom... perguntei à Dora e ela diz-me com ar mega descontraído (como aliás tem sempre, que é coisa que até enerva) que é super simples, furas de um lado, depois do outro e pronto. Fiquei mais ou menos descansada mas não voltei a pensar no assunto. Até hoje de manhã quando bati os olhos na porra do recado e percebi que estamos precisamente a dia 23 de março. Lá fui buscar uma agulha e um ovo, fiz os ditos furos de cada lado - o que para começar não foi nada fácil, que a casca é rija, a agulha pequena e escorregadia. Furos feitos, sem esmagamento mas acontece que nada sucedeu. Abanei o ovo, deixei-o a levar com água da torneira, alarguei um pouco os furos com a agulha mas... nada!!! Eu ali a suar de volta do ovo e o querido pai a dizer lá do fundo "ah isso agora vai ter de ficar aí a escorrer o dia todo". Que rico conselho! Podia lá ficar uma vida inteira que não havia de ficar vazio... já em desespero, pelo tempo que já tinha perdido com o processo, por querer cumprir o prazo e por não querer que a Carlota dissesse à querida educadora "a minha mãe bem tentou mas não conseguiu...", lá me lembrei do fantástico Youtube. Se tudo se aprende a ver vídeos online, furar ovos também devia constar do inventário. E não é que consta?! Eis que para além da agulha é preciso um palito e depois, o instrumento fundamental: uma palhinha! Opah obrigada a quem se lembrou de publicar este vídeo com as instruções. Lá me safei de mais um T.P.C. e cresci como ser humano. Sem dúvida que saber esvaziar ovos deve fazer parte das competências básicas de qualquer pessoa... 
#mãeemconstrução

T.P.C.'s

Já o disse aqui e quem me conhece sabe que é verdade - não gosto de T.P.C's. É uma obrigação, mexe com a gestão familiar, raramente são rápidos e simples. Então quando são trabalhos "livres" e manuais... tenho pesadelos!!! Na 6.ª feira chegou um recado em duplicado: no âmbito da Semana da Primavera pedem-se trabalhos que promovam a reciclagem e a reutilização, para cada aluno levar no decorrer desta semana. Sem grandes ideias, nem muito tempo ou paciência para trabalhos manuais, lá pensámos transformar uma garrafa de Coca-Cola num vaso e com a ajuda da avó Eugénia conseguimos um resultado bem giro, aproveitando um cato que a Carlota plantou num vaso minúsculo na creche há uns 2 anos atrás e que já estava desesperado por um transplante. Falhou-me a foto, mas até ficou muito bem, com todo o mérito da querida e sempre disponível mãe/avó. A seguir foi a vez de pensar no que a Constança poderia levar. Ficámos de pensar mas a verdade é que pelo meio se meteram outras coisas e só ontem de manhã, quando olhámos para o saco que a Carlota levaria, soou o alarme... numa tentativa desesperada de despachar o assunto, pegámos no garrafão de água vazia onde vamos enfiando as tampinhas de plástico para a reciclagem, e assunto arrumado. Pelo menos foi o que pensei quando as deixei na escola de manhã. Qual o meu espanto quando no regresso a casa me deparo com o dito garrafão... diz a Constança, num tom de reprovação que deve ter ouvido à professora, que tínhamos de fazer algo a sério. Ups... se tivesse um buraco, teria-me enfiado lá dentro. E contra factos, não há argumentos que nos salvem... Ainda tive de ouvir o comentário do querido pai: "ahahahah, achavas que te safavas sem ter trabalho!" - como se a falha fosse exclusivamente minha, que grande lata. Bom, escusado será dizer que ontem ninguém se sentou no sofá até surgir uma ideia concretizável e que respondesse verdadeiramente ao pedido que recebemos. Depois de muita pesquisa no Pinterest (que para estas coisas é brutal) e do inventário do material disponível lá em casa lá se fez luz. O Hugo foi buscar o berbequim à garagem, as miúdas foram separando as tampas por cores e com a ajuda da caixa das missangas conseguimos construir as "lagartinhas das dezenas"!



Este episódio deu-me várias lições de moral: 
#1 mesmo que não apeteça, que não se tenham ideias ou grande habilidade artística há que tentar! Menos do que isso não vale;

#2 quando nos aplicamos e esforçamos conseguimos resultados. Mais ou menos giro, o importante é pensar (a sério!) no pedido que recebemos e entregar algo que nos deixe orgulhosos;

#3 o importante nos trabalhos de casa deste género é o trabalho de equipa em família. Todos trabalhámos para o mesmo, passámos uma noite diferente em que todos estivemos focados no mesmo objectivo. A verdadeira máxima: "Um por todos e todos por um".

Ainda a propósito dos "outros"

"A palavra é um dom. O outro é um dom." Esta é a mensagem chave do Papa Francisco neste tempo de Quaresma. Ontem depois de ter escrito sobre o filme fez ainda mais sentido. Sair da zona de conforto, ter tempo para os "outros" - sejam eles família, amigos, colegas ou estranhos - é coisa cada vez mais rara. Dá trabalho, requer tempo, disposição e a capacidade de ouvir. E ouvir sem julgar, ajudar sem cobrar não é tarefa fácil... Este texto da Laurinda Alves é no mínimo inspirador. Para ler e reflectir.

O valor das convicções

Vi ontem este filme e apesar de já ter visto a apresentação no cinema, de ter ouvido boas críticas e vários comentários, mesmo assim conseguiu superar todas as expectativas. Este filme é uma lição de vida, que mostra o quanto é difícil ser-se diferente, ter convicções firmes, acreditar nelas e conseguir cumpri-las. É uma história verídica muito bem contada, mega bem produzida e que continua a fazer sentido na sociedade de hoje. Apesar de nos auto intitularmos de "mente aberta", ainda nos custa muito lidar com a diferença dos outros. Com atitudes/comportamentos e convicções que ousam pisar a linha padrão, do socialmente aceite ou dito "normal". Grande filme. Grande lição de vida.

Simples mas tão bom

Este fim de semana não fizemos nada de especial. Sábado a rotina do costume, piscina de manhã, almoço com a família, catequese/missa à tarde. À noite jantámos com o Clã Vaz, que nem meia casa fechada para pinturas nos atrapalhou o convívio! E ontem passeio no parque ao pé de casa, almoço nos pais, ver jogo do Simão e depois à tarde filme no sofá e umas arrumações domésticas. As miúdas ainda foram jantar piza com o tio João (que surgiu de uma promessa entre eles, numa relação cheia de cumplicidade que a cada dia me deixa mais feliz). E é incrível como programas destes, tranquilos, simples e em família conseguem um efeito tão positivo na minha vida. Obrigada aos pais lá de casa, em especial ao meu e ao das minhas filhas por serem um exemplo de tudo o que um Pai deve ser!





E ao 3.º dia...

Já me sinto melhor. Tenho de admitir que dramatizei um bocadinho ou talvez já esteja tão dorida que me tornei insensível à pressão e desconforto de usar boqueiras o tempo todo...  a noite foi melhor, custa menos tirar e a pôr o aparelho de cima e até já consigo falar como uma pessoa normal. O pior de tudo é mesmo a logística de tirar/pôr para comer ou simplesmente beber um café... isso sim, está a deixar-me louca! Não poder parar para o meu habitual café matinal - onde nem preciso de abrir a boca, basta entrar e tenho a minha chávena, sem colher e sem açúcar, à minha espera... Disso sinto muitaaaa falta. Posso sempre subir direta ao wc, tirar o aparelho e voltar a descer mas não é a mesma coisa... enfim, tenho de parar de me queixar! Tirar o aparelho foi uma coisa boa, uma conquista pela qual ansiava e cada dia que passa me aproxima do dia em que poderei voltar a trincar uma maçã livremente :)

De sorriso forçado a sorriso feliz (e agora de dentes serrados...)


Finalmente chegou o dia! Foram 2 horas de sorriso rasgado e sensação de alivio pleno. Mas só 2 horas porque quando voltei para colocar os aparelhos de contenção, toda a alegria se desvaneceu num ápice... o de baixo ainda vá, já o de cima exerce uma pressão que me deixou zonza logo na 1.ª tentativa. Diz que é para usar 24h sob 24h neste 1.º mês, tirar só mesmo para comer. Gradualmente o número de horas é suposto diminuir mas sem data definida para uma despedida completa (como ainda tenho de colocar implantes, só depois disso dará para avaliar). 
Ora, como a questão do encaixe dos referidos aparelhos de contenção está-me a custar horrores (talvez seja temporário, por estar mais sensível da remoção do aparelho e limpeza dos dentes), parece que estou a exercer tortura a mim mesma quando tiro para comer e depois volto a colocar. Ainda só aconteceu 2x (almoço e lanche) e só a canseira que implica está a deixar-me com os nervos em franja. Pelo meio já pensei comer uma bolacha mas ter de me levantar para ir à casa de banho tirar os aparelhos, vir comer a dita bolacha para a seguir voltar à casa de banho, lavar os dentes e colocar os aparelhos de novo (e sentir a pressão gigante que me deixa a cabeça a latejar)... perco logo a vontade de comer seja o que for! Neste momento, ainda com isto tudo muito a quente só me ocorrem 2 hipóteses, ambas com consequências nada boas: ou não os tiro nunca - e deixo de comer no próximo mês (mesmo sendo quaresma, não acho que seja capaz...); ou faço batota e arrisco-me a voltar à estaca zero e a ficar com os dentes todos tortos (e lá se vão quase 2 anos de esforço e investimento...). Enfim... talvez amanhã corra melhor, mas hoje... o que começou por ser um sorriso novo e feliz, está a deixar-me de dentes serrados...

Sou uma visionária!

Quando escrevi sobre o Netflix falei sobre a possibilidade de anular o serviço típico de subscrição de televisão+internet mas acabei por não o fazer porque estamos fidelizados ao pacote meo até ao início do próximo ano. Mas as contas que na altura fiz mostram que de facto é possível poupar e ter um serviço bem mais ajustado ao que queremos ver. Este artigo do observador confirma:


Fico sem argumentos...

Não sou fã de exercício físico. Só de pensar nisso fico cansada. Já me inscrevi em ginásios, já fiz hidroginástica, experimentei pilates e outras modalidades mais ou menos dinâmicas. O resultado é sempre o mesmo: não funciona comigo. Por preguiça, por falta de tempo ou de organização... a verdade é que não consigo alterar a minha rotina para ter sequer tempo de pensar em fazer exercício físico. De manhã levo as miúdas; na hora de almoço - a meio do trabalho - nem consigo conceber; no final do dia tenho o jantar e os banhos e o tempo para estar com as minhas filhas (que já é tão pouco por sinal) e depois de elas irem dormir... bem, sinto-me também pronta para ir fazer o mesmo. Mas há dias que ainda é preciso passar a ferro ou fazer preparativos para o dia seguinte. Pode soar a desculpa mas a verdade é que não consigo... agora se tenho noção do quanto é importante, dos benefícios e vantagens?! Claro que sim! Falta-me tempo, vontade, organização... mas perante este artigo ilustrado: "Como ficar em forma em 10 minutos" talvez ganhe motivação, afinal são só 10 minutos...

Aos fãs como eu

A penúltima temporada da minha série preferida - A Guerra dos Tronos - já tem data de estreia: 16 de julho. Serão apenas 7 episódios, ou seja, 7 segundas-feiras que me irão pregar ao sofá. Só a música do genérico consegue transportar-me logo para um outro mundo, uma outra época que tanto tem de fantasiosa como de poderosa. Sou fã desde o 1.º episódio. Que julho chegue depressa!

Muitos parabéns Miguel

Cada sobrinho é especial à sua maneira, cada um com as suas particularidades e a sua personalidade. O Miguel distingue-se pelo ar castiço, por um lado super doce, por outro do mais palhacinho que se possa imaginar. A sua imaginação e criatividade surpreendem-nos de uma forma arrebatadora! É carinhoso, muito meigo mas perante uma derrota consegue transformar-se numa verdadeira fera!!! Tem sido um grande privilégio vê-lo crescer de perto, poder acompanhar todas as suas evoluções e superações. Espero que continue a crescer cheio de sonhos - mesmo os (quase) impossíveis como jogar no Real Madrid ou no Barcelona - cheio de energia e competitividade saudável, mas que acima de tudo nunca perca o lado doce que tanto nos delícia. Muitos parabéns meu amor!!!

Devido a problemas técnicos o vídeo a "sério" virá depois (espero que muito em breve!). Até lá uma pequena amostra: PARABÉNS MIGUEL (vídeo provisório)

E porque hoje é Dia da Mulher

Podia falar das desigualdades e das injustiças que ainda se fazem sentir por todo o mundo. Podia falar sobre o desafio de ser Mulher e esposa e mãe e profissional e amiga e dona de casa. Podia falar do dom especial da maternidade. Podia falar nas minhas filhas, que são as mulheres de amanhã. Podia falar da minha mãe, irmãs e amigas que são uma inspiração na minha vida. Podia falar de tanta coisa que faz sentido sublinhar no Dia Internacional da Mulher. Mas acredito que esse dia são todos os dias, não só hoje ou não por ser hoje. Por isso escolhi uma imagem que resume tudo o que somos, tudo o que conseguimos - Todos os dias das nossas vidas. Feliz Dia internacional da Mulher!


Olha, olha quem é ele!

Só agora é que se desfez o nó que tinha no cérebro! Sabia que o conhecia de algum lado, mas nada (mesmo nada!) da figura que vi no Festival da Canção me fez lembrar este apuramento, que vi em directo, no programa Ídolos em 2009. Muito bom!



Finalmente uma música que me deixa orgulhosa para representar o nosso país no Festival da Eurovisão! Força Salvador!!!

Primos Peres

Os Primos Peres, por ordem crescente. Cada um no seu estilo, todos lindos aos meus olhos. 



Cinema grátis

Ontem fui com as miúdas àquelas sessões grátis de cinema no Loures Shopping ver o filme Cegonhas e adorei! Desde o conceito à forma como a história se desenrola, das personagens, da adaptação/dobragem em português com a voz do Nuno Markl, da banda sonora, das várias lições de "moral" explicitas e implícitas... gostei mesmo. E o melhor de tudo: GRÁTIS! 


Parabéns amiga Bela!

A amiga Bela faz anos hoje e aproveito o dia para celebrar a nossa amizade! Temos uma história com tanta coisa dentro, cheia de partilhas, de desabafos, de alegrias, de risadas, de passeios e programas. A nossa amizade é das mais desafiantes porque somos muito diferentes em tantas coisas mas iguais noutras tantas. Mostrar-te que o cinzento também é cor, que não tem de ser tudo preto ou branco não tem sido fácil... mas cada uma à sua maneira, temos conseguido encaixar as nossas diferenças. 
A vida juntou-nos por acaso, num jantar de amigos em comum, mas tem-se encarregue de nos manter juntas. Nas alegrias e nas tristezas, temos estado lá uma para a outra. Sei que de ti vou ouvir sempre uma opinião sincera, sem filtros. Sei que de ti vou ter sempre ajuda, desde a organização das festas à arrumação doméstica. Sei que em ti tenho uma amizade sincera, daquelas que é para a vida. Parabéns amiga do coração!