Parabéns Pai!

O meu pai faz 66 anos hoje. Ele é do tempo em que o dia de nascimento não tinha de ser o dia do registo, por isso oficialmente só faz anos na próxima semana, no mesmo dia do Hugo (mais uma coincidência boa na minha vida!). 
O meu pai é do tempo em que não existia a etiqueta de "famílias numerosas" porque o normal era ter muitos filhos, e não o contrário, num tempo em que ser o primogénito significava ser o "chefe de família" na ausência do pai. Com o peso da responsabilidade, do exemplo, do dever, do orgulho que representava e ainda hoje representa. 
O meu pai é do tempo em que o Serviço Militar era obrigatório e fez parte de um dos muitos contingentes com missão de "paz" em África. Tem muitas históricas para contar desse tempo, que guarda como um "teve de ser", felizmente sem trauma de maior pela sorte que o serviço à padaria lhe conferiu. Apesar do tempo de serviço, nunca chegou a aprimorar os seus dotes culinários... acabou por ser "salvo" por uma pequena cirurgia que o trouxe de volta ao país que sempre amou como pátria e onde tinha a vida em suspense, para que a sua história se cumprisse.
O meu pai é do tempo em que se namorava por carta, com o corpo à distância mas o coração seguro e firme, preso num único e grande amor. É do tempo em que bastava o "sim" para se começar a vida, sem esperar pelo "momento certo", pela casa ou pela carreira estável. Muito perto do conceito "um amor e uma cabana", sabendo que com vontade e determinação tudo se consegue. 
É do tempo em que se trocavam cartas e juras de amor, até pedidos de casamento por escrito! Não era preciso namorar muito tempo quando a escolha estava feita. O pedido e o casamento aconteceram no mesmo ano e já lá vão 41... uma vida!
É do tempo em que trabalhar na função pública era o sonho de qualquer português! Ainda hoje não percebe como é que o filho não quis seguir uma vida como motorista da Carris... companhia da qual foi funcionário assíduo, com muitas horas extras de condução que chegaram a valer medalha de honra pela ausência de acidentes. Mais de 40 anos de descontos, de entrega, de muitas horas ao volante, diferentes percursos e muitas caras simpáticas, outras de fugir... Ainda foi do tempo em que os filhos dos funcionários tinham médico gratuito, passe garantido, presentes no Natal e colónia de férias no verão. Benefícios que foram acabando à medida que fomos crescendo mas que chegámos a tirar partido. Lembro-me das idas ao pediatra em Santos, das filas para receber os presentes no circo - que ficavam guardados bem alto no armário não se fossem estragar (para grande arrependimento da minha mãe, que hoje reconhece ter sido excesso de zelo...). Lembro-me melhor ainda das colónias no verão, que frequentei criança e depois acabei por ser monitora, com as manas e depois com o João de quem ainda fui coordenadora!
Porque o meu pai é do tempo em que pelos filhos valia tudo, mas acima de tudo era preciso passar-lhes o valor do trabalho - se queres ter alguma coisa na vida tens de trabalhar para isso. Aprendemos pelo exemplo e não podíamos ter aprendido melhor. Obrigada querido pai por tudo isto e por muito mais que não cabe em palavras. Temos muito orgulho no que já foi e muita esperança de que ainda muito de bom está por vir! Muitos parabéns!!!!


Comentários

Sandra disse…
Que lindo maninha, obrigada!
Parabéns paizinho!
Sandra disse…
O pai emociou-se de tão lindas palavras, obrigadaem seu nome!

Só uma correção eu também fui monitora nas colónias da carris.... "Estou velha e cansada" 😅
a caseira disse…
Ah!!! Já nem me lembrava... a idade tb já começa a pesar por aqui ;)
Cátia Rodrigues disse…
Amiga, os teus textos são maravilhosos. Um beijinho muito grande de Parabéns ao senhor Tomé. Um dia muito feliz para toda a família.
paula disse…
Lindo texto com foto magnifica!
Parabéns Sr. Tomé!

Mensagens populares deste blogue

É para rir. Ou chorar...

Parabéns maninha!

Orgulho imenso!