Desliguei

Não consigo ver, e rever vezes sem conta, as imagens da tragédia, da devastação, da desgraça de todos os que viram o fogo levar-lhes tudo. Não consigo continuar a ouvir, ou a ler, os mil comentários, opiniões e recomendações de quem parece saber tudo mas que pouco (ou nada) fez para que esta tragédia voltasse a repetir-se em tão pouco tempo. Não consigo confiar de que os tons exaltados, ofendidos, acusatórios resolvam alguma coisa... O que constato é que a desgraça se abate de forma totalmente aleatória, de forma tão brutal e que perante isto sentimos o quanto somos pequenos, o quanto nada sabemos do que nos espera, o quanto estamos vulneráveis. Este sentimento de impotência, de frustração, de angústia alimentado de forma voraz pela comunicação social que amplifica este drama a uma escala de dor que vai para além do seu dever, puro e simples de informar. E é por isso que prefiro desligar. Sou cada vez mais selectiva nas notícias que leio, nos vídeos que abro, nos links que clico. Ficar sentada, de forma passiva perante este drama de ver arder, sem ver nascer. De ver queimar, sem plantar. Por isso deixo uma sugestão, uma acção simples desenvolvida numa parceria entre a Quercus e os CTT, que pode fazer a diferença no futuro do nosso país, "Uma árvore pela Floresta". Chega de criticar sem nada fazer. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dia Mundial da Doença de Parkinson

Parabéns maninha!

O milagre chamado Constança José