Parabéns PM!

O Pedro nasceu num dia como o de hoje, com muito calor e num fim-de-semana em cheio, com o Europeu ao rubro! Arrisquei uma visita surpresa à maternidade e peguei nele com horas de vida. Tal era a ansiedade de o conhecer, de lhe pegar e de sentir ao vivo a alegria da minha querida amiga por finalmente ver o seu desejo mais profundo ser realizado. Senti uma alegria tão intensa que foi como se também fosse parte de mim que nascia naquele momento. 
Passaram 2 anos e tem sido um desafio ver o nosso Pedro crescer. Não é uma criança fácil, dispensa confusão, odeia ser o centro das atenções e quanto menos abraços e amassos melhor. Apanha tudo o que são viroses, os dentes não nascem sem pré aviso e as constipações e ranho são uma constante. Noites tranquilas também não abundam. Festas e rambóia, que os pais - mais a mãe, vá! - adoram, ele dispensa. Mas nem tudo é mau, que a boca, valha-nos isso, é santa e come muito bem, sempre pronto para facilitar a vida de quem o quer alimentar. De bolacha ou pão na mão e sem ninguém em cima dele é uma criança feliz. Tem um ar doce que só apetece apertar e consegue ser de uma ternura que aquece o coração. Cá em casa fica sempre muito bem-disposto já que é "mais um" a quem ninguém tem como missão agradar. Faz parte da família e por isso tem a liberdade que todos os outros recebem, e assim sente-se tranquilo e enturmado. Ainda não fala muito mas explica-se muito bem, capaz de levar a dele avante com uma teimosia que deixa a minha amiga de cabelos em pé. 
Costumo dizer-lhe que é a chamada beleza da maternidade, nunca sabemos o que nos espera, não conseguimos moldá-los à nossa vontade, nem garantir que corre tudo como planeado, menos ainda que sejam "crianças padrão". Cada um tem o seu ritmo, o seu feitio, os seus gostos, a sua forma de estar e de ser. Temos nós de aprender com eles e a ser o melhor que conseguirmos ser. Ser mãe é amar sem reservas, é ver qualidades e reconhecer defeitos. É insistir e persistir até ser melhor. É estar lá para o que for, com a capacidade de dar tempo ao tempo, de incentivar mais do que criticar, de apoiar e acreditar que vai ser capaz. É dar a mão para amparar, para ajudar a levantar se preciso for, mas não para dar os passos por ele. Cada um terá o seu caminho e a nós cabe-nos estar cá para o que for. Este amor sem "mas" é o melhor presente que lhes podemos dar. 
Vasquinho e Ana Marta, têm sido um exemplo de determinação, de força e de energia para aturar as mil birras e por isso os parabéns do Pedro vão hoje também para vocês, porque como pais os merecem. Estão a fazer um bom trabalho e eu tenho muito orgulho em vocês! 



Comentários

Anónimo disse…
Não podia deixar de comentar.
Revi-me neste texto, reconhecendo o feitio do meu filho.
Diga aos seus amigos que isso melhora. Dos 4 para os 5 notei uma diferença abismal, menos birras, menos feitio particular'. Vai melhorar. ;)

Mensagens populares deste blogue

Parabéns Maria Francisca!

10 anos. O meu mundo neste blogue

Parabéns maninha!