Só por isto valeu a pena

Este foi o meu 1.º ano como Presidente da Associação de Pais da escola das minhas filhas. A escola pública que escolhi para elas por ser a minha referência em tantos aspectos, a começar por ter um projeto sólido e integrado que assegura das 7h30 às 19h30. Escola a tempo inteiro, com programas divertidos, com atividades diferentes, com dinâmica pensadas e adaptadas aos grupos/idades e aos espaços e, acima de tudo, com pessoas que amam aquilo que fazem todos os dias - férias incluídas! 
Cheguei à Associação de Pais, ou AP como sempre abreviamos, com pouco ou nada de conhecimento de causa, tanto pela inexperiência de quem se estreia na escola pública, como pela falta de ligação profissional à área. Mas como em tudo na vida, basta vontade, dedicação e muita entrega para se apanhar o ritmo e começar a perceber os meandros da coisa. E são muitos!!!! Também ajudou estar rodeada de pessoas com muitos anos de experiência, quer de forma direta, quer no apoio à distância de um e-mail, de um sms a pedir resposta rápida ou de um telefonema só para desabafos. 
Levar uma AP às costas tem o seu preço... quando aceitei o desafio lembro-me de ouvir a Susana dizer-me que cada um dá o que pode e que o projeto cresce na mesma medida da dedicação e do tempo que cada um tem para dar a este trabalho voluntário mas exigente e de enorme responsabilidade. Hoje, não podia estar mais de acordo!
Ser Presidente significa que se representa todos os pais/ encarregados de educação da nossa escola. E este é um compromisso sério, sobretudo no nosso caso em que a AP tem protocolos estabelecidos com entidades e empresas para a gestão de várias atividades. Exige compromisso, responsabilidade e dedicação. E disponibilidade também, tempo para reuniões, organização e sistematização para as acompanhar, capacidade de partilha junto de todo o grupo da AP e divulgação aos pais, espírito de equipa e muita ponderação, muita calma e muita, muita paciência. Não se pode ter atitudes impulsivas ou tomar decisões a quente, antes respirar fundo muitas vezes, deixar passar algum tempo, falar menos e ouvir mais (o que para mim é algo difícil!) e no fim ajudar a que seja tomada a melhor decisão, aquela que beneficie a maioria - o todo em vez do individuo, que contribua para relações cordiais, que promova o diálogo e acima de tudo de forma construtiva, para que se aprenda com os erros e se incentive e apele ao melhor de cada um. E escrito assim soa muito bem e até parece fácil e simples mas na prática senti, na pele, o quão tramado e exigente é ter este papel! 
Foi sem dúvida um desafio que me ajudou a crescer enquanto pessoa, que me obrigou a saber esticar o meu tempo mas que me conseguiu envolver de tal modo que não o sinto como obrigação, antes como uma motivação extra de quem trabalha por gosto, feliz quando vê resultados do empenho e dedicação e crítica e exigente para conseguir fazer mais e melhor. Dou o tempo que posso, faço o melhor que sei e que consigo, esforço-me para continuar a fazer mais e melhor.
No fundo é aquela máxima de que posso não conseguir mudar o mundo mas se conseguir melhorar a vida de quem me rodeia, já será uma bela conquista! E felizmente o ano termina com esta sensação de que pode ainda estar muito para fazer, muito para melhorar mas... passo a passo, com calma mas com persistência... estamos no caminho certo! 

Mensagem que recebi no âmbito da semana dos afetos:

Diploma e crachá que recebi da AP:

 Fotos da Festa Final de ano




 



A Festa Final de Ano foi um momento único, em que conseguimos unir toda a equipa da nossa escola, entre professoras, assistentes operacionais, monitores, coordenadoras, equipa da AP, pais e alunos numa festa cheia de emoções à flor da pele, importante para todos por diferentes motivos mas sentida por todos como prova de que quando se faz por gosto, quando se trabalha em equipa e quando todos se unem num mesmo objetivo... os resultados saltam à vista! Grande orgulho destas pessoas, grande orgulho por todos vestirmos a mesma camisola pela nossa querida Escola da Condessa! 

Sem comentários: