Voltar onde somos felizes

Foi um jantar que demorou no máximo 2 horas. Veio num dia de semana, de trabalho/escola para nós mas de festa para ele. Veio de propósito para a Noite de Santo António, para a festa que o apaixonou mesmo já tendo viajado por meio mundo. Diz que devemos voltar sempre onde fomos felizes e é exatamente isto que tem feito. Voltar à cidade de Lisboa, mesmo que sejam 2 noites quase sem dormir para dar tempo para tudo e para tanto, vale sempre a pena. Está cheia de turistas, os transportes estão caóticos, o trânsito pior ainda. Há confusão, mistura de sotaques, filas e apertos, sobretudo em época de Festas Populares. Mas o cheiro a sardinha assada, o copo sempre cheio, o arraial com música para todos os gostos não se encontra em mais lado nenhum do mundo. E é por  isso que volta, para uma visita rápida mas intensa, daquelas que aquecem o coração e renovam energias para quem visita e para quem é visitado. Que voltes sempre, seja nos Santos, seja no Verão, para repetirmos as gargalhadas, as correcções "do português" e o abraço apertado e demorado, que não precisa de palavras.

Sem comentários: