Admito

Não sei comprar roupa para mim. Para os outros, incluindo filhas, marido, irmãs, sobrinhos, amigas, sou uma verdadeira expert. Sei o que lhes faz falta; faço uma selecção do que vale a pena do que não compensa quer seja  pelo preço ou pela qualidade; sei onde encontrar o que procuro e raramente falho nos tamanhos ou nos gostos. Agora aqui para a minha pessoa o caso muda completamente de figura... fico sempre indecisa, seja pelo estilo, pela cor, pelo tamanho ou pelo preço. Ando às voltas, vou a várias lojas, pondero, experimento e mesmo assim, nunca me sinto 100% confiante e, ultimamente, quando chego a casa fico sempre com a certeza de que fiz a escolha errada - quase sempre no segundo seguinte a ter cortado as etiquetas, todas (as de fora e as de dentro) que é uma mania que não consigo perder... isto leva-me a uma conclusão triste mas real: eu-tenho-um-problema!!!! Na semana passada foram as calças de ganga: precisava de renovar alguns pares de calças, com maior urgência umas justas para substituir umas que comprei na licença de maternidade da Constança (5 anos passados!) e outras que tenho mais largas, com corte direito que já nem me lembro quando comprei... esperei pelos saldos mas quando fui decidida a comprar claro que o olho fugiu logo para as da nova colecção... mantive-me firme e foquei na secção dos saldos que a vida, sobretudo a minha, não está para loucuras. Nem queria acreditar quando encontrei umas na Pull a 5.99€! Comprei 3 pares de uma vez só, toda contente, a achar que tinha feito alta compra, toda eu auto-elogios, por ter sabido esperar, por ter procurado, por ter conseguido 3 novos pares por menos do que 1 par da nova estação. Cheguei a casa e toca de cortar etiquetas e pôr a lavar. Semana passada vesti as justas e cheguei à conclusão de que me caiem (o n.º mais baixo que havia na secção fim de saldos era o 38 e eu achei que me estava óptimo); uns dias depois visto as de corte mais direito e mais largo e também não gosto de me ver... Depois visto as outras, umas também mais justas e percebo que o estampado não é assim tão giro... Resumo da compra fantástica: comprei lixo para me encher o roupeiro. E a coisa não fica por aqui! Esta semana tive um evento formal da agência e o drama que foi decidir o que vestir... O Hugo, sempre muito prático nestas coisas, encorajou-me a ir comprar e no dia antes lá fui eu direita ao shopping e ainda fiquei mais triste... Sob pressão, quando queremos mesmo encontrar algo perfeito, raramente corre bem... 1.º porque não tenho coragem de gastar assim de uma vez perto de 100€ em roupa, ainda para mais num estilo que não vou usar no dia-a-dia; depois porque começo a pensar no que tenho em casa, em eventuais conjuntos que possam funcionar para comprar só uma peça mas depois as ideias não chegam, começo a pensar nos sapatos e no casaco e na mala e de repente não consigo visualizar nada!!! O meu cérebro bloqueia e o resultado é invariavelmente o mesmo: fico frustrada comigo própria, pela indecisão, pela perda de tempo, pela falta de coragem em apostar em verdadeiros investimentos: peças básicas mas que ficam sempre bem; uns bons sapatos pretos; numa blusa branca de corte direito; umas calças sem ser de ganga... Coisas básicas que não tenho! Olho para o roupeiro e tenho uma série de coisas que não uso quase nunca mas que insisto em guardar vá um dia mudar de ideias. Peças que até não desgosto mas que depois não tenho com que usar, ou falta uma parte de cima que combine ou a parte de baixo que conjugue... Depois quando vou às compras, sobretudo depois de ser mãe, penso mil vezes antes de comprar coisas para mim porque há sempre outras prioridades e soa sempre a "não urgente" e vou adiando, vou usando até à exaustão o que tenho e que infelizmente parece durar cada vez menos. A roupa agora é quase reciclada, não aguenta anos e anos como antigamente! São os borbotos, a elasticidade, o ar russo e gasto que aparece logo depois de umas lavagens o que vai reduzindo cada vez mais as opções... E se para o dia a dia a coisa até se vai safando, quando aparece um coisa mais formal é o drama!!! Sei que uma solução simples seria ficar excêntrica e aí o não olhar a preços ajudaria bastante mas como nem sequer jogo, não posso sonhar com isso... Resta-me acreditar que a idade me irá ajudar a saber fazer melhores escolhas para mim... e a conseguir aplicar o que tenho feito com sapatos e malas: apostar na qualidade. Mais vale pouco mas bom.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parabéns maninha!

A mãe disse

Picnic dos Amigos